Coluna Silas Feitosa: Qual o Primeiro nome de Ipiaú?

Silas Feitosa

Qual o significado de um nome? Qual a sua importância? Toda vez que nos apresentamos, falamos o nosso nome. Ele é a nossa identidade, nossa essência. Um nome pode ser um marco, é costumeiro ouvirmos que o bem mais precioso que possuímos é o nosso nome. Mas você já se perguntou a origem do seu nome? Já parou para perguntar ao seu pai, sua mãe de onde veio à inspiração para lhe dar tal singularidade? Pode parecer até desnecessária tal informação, mas é de extrema importância sermos conhecedores da nossa história, o nome que temos carregaremos por toda uma vida e através dele que seremos conhecidos ou não, nomes como Isaac Newton, Paulo Coelho, Mahatma Ghandi, Nelson Mandela não passam despercebidos onde são proclamados, e ao serem citados sempre remetemos nossos conhecimentos prévios aos seus detentores e automaticamente a importância de suas obras para o mundo.  Assim como para pessoas, o nome também é de extrema importância para a identificação de um local, uma cidade. Sempre que somos perguntados quem somos, normalmente também nos é questionado de onde viemos. Mas qual a origem do nome Ipiaú? Esse nome forte, sagaz, único de nossa querida e saudosa cidade. Poucos são os que conhecem a real história por trás desse nome, e os que conhecem geralmente tem um conhecimento um pouco deturpado da real história por trás desse fato.  O ano era 1775, o então João da Costa Gonçalves, proprietário da fazenda Ressaca (situada onde hoje atualmente é a cidade de Vitoria da Conquista), utilizando de seu forte poder de influência e persuasão conseguiu através do governador do estado da sua época, o Capitão General Manoel da Cunha Menezes um acordo para a construção de uma estrada que ligasse o sertão a orla marítima, que tinha como destino chegar a Salvador. Continue Lendo

Essa tal estrada, que foi denominada a “Estrada da Nação”, originava-se em conquista, descia até a atual Jequié e através daí margeando o lado esquerdo do rio de contas. A estrada foi parcialmente construída, porém deveras não era muito movimentada. Mas em 1860, o intendente de Camamu, que na época era detentora de todas as terras que margeavam o rio de contas, enviam dois prepostos a fim de fiscalizarem e cobrarem os devidos impostos para a utilização da estrada da nação. Na foz do rio da agua branca, foi encontrada uma tribo de índios domesticados, os Tupinaex. Nesse local foi criada uma REPARTIÇÃO, quase que exclusivamente para informação. Mas como de se esperar o local era habitado por gentes humildes, que ao questionados os seus locais de origens, ao invés de responderem repartição, acabaram apelidando o local de RAPATIÇÃO, que fora confundido como o primeiro nome de Ipiaú, mas era apenas um apelido gerado por seus habitantes. Com o decorrer do tempo a população local fora crescendo, e com a recente chegada do senhor Raymundo Crente, que chamara o local de Rio Novo, apelido que deu certo. Entretanto em 1916, o povoado foi elevado à categoria de distrito, sendo chamado de ALFREDO MARTINS. Em 1930 foi criada a subprefeitura de Rio novo, que no ano seguinte transferiu-se a responsabilidade de Camamu para Jequié. Finalmente, em 2 de dezembro de 1933, foi criado o Município e Cidade de Rio Novo. Já em 1943, o Conselho Nacional de Geografia e Estatísticas alterou o nome de Rio Novo para IPIAÚ, que em tupi-guarani significava a mesma coisa, rio novo.  Ipiaú como hoje a conhecemos é uma cidade cosmopolita, de gente hospitaleira e alegre, já fora reconhecida como cidade modelo no Brasil. Uma cidade inesquecível, que desperta paixões desenfreadas dos seus habitantes e visitantes, pois como sabemos quem bebe da água do Rio de Contas não esquece jamais.

Leia também

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *