Coluna Vicente Andrade: Carlos Chang: o artista da noite

Caminhando pela cidade, principalmente a noite, encontramos com situações imagináveis, mas que, desperta a curiosidade e atenção dos andantes. Não é por acaso, que no município de Ipiaú encontramos fatos que merecem serem relatados. Não é fácil você encontrar pela noite um artista se empenhando para expressar o talento que possui na calçada. E foi andando pela rua Walter Hohlenwerger, popular “Batateira”, por volta das 22 horas, de um domingo, que encontrei o artista desenhando com lápis, um lindo retrato de uma criança. O nome do ipiaueense é Carlos, ele tem 30 anos, e é conhecido como Chang devido à banda de Rap Quilombos periférico, da qual ele faz parte. Depois de alguns minutos de conversa perguntei por que ele desenhava aquele horário, imediatamente ele me respondeu: “A noite não tem tanta zoada como pela manhã. As pessoas que transitam a pé ou de carro, prestam mais atenção aos desenhos. O turbilhão da manha é uma barreira para a apreciação da arte, mas a noite, ela se torna mais visível”, explicou Carlos.

De imediato encontrava-se no atelier do desenhista pinturas de diversos tipos e cores que relembra os quadrinhos e o real. Além dos desenhos, muitas tintas que coloria o ambiente. Carlos Chang começou a pintar aos 16 anos e teve a influência de um amigo e das revistas, assim contou com a humildade de um verdadeiro artista. “ Faço desenhos desde pequeno e sinto que preciso melhorar, pois ainda não me considero um artista profissional. Eu comecei a desenhar depois que conheci as revistas de mangás e também um amigo que conheci em salvador. comentou Carlos. Por outro lado, o reconhecimento do trabalho já se pode considerar uma obra de arte. Carlos ainda afirmou que o seu trabalho esta sendo reconhecido em Ipiaú. “ Pensei que o apoio seria menor em Ipiaú, mas me surpreendi, porque o reconhecimento aqui esta bem melhor se comparado com o tempo em que estive na capital baiana”, considerou Carlos. A nossa região é recheada de artistas que estão escondidos e que precisam ser vistos. Não é fácil manter a arte e as oportunidades são poucas, porém, aos poucos as janelas vão se abrindo com o pincel. “ A arte esta em todo o canto e concretizado em várias formas, existem diversas maneiras de realizar a arte basta fazer o que sabe de melhor. Leia um livro, abra a mente, pratique esportes, seja humano, crie seus filhos com respeito e lute”, encerrou Carlos com a mensagem de incentivo a todas as pessoas para uma reflexão . Apoie um artista e peça já seu desenho. O atelier de Carlos Chang fica na subida da batateira, onde ficava a antiga feira. Vale a pena ir visitar, até porque, os desenhos são muito bons. (Panorama Ipiaú / Vicente Andrade)

Leia também

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *