Vídeo revela briga entre alunos e professor em escola municipal de Jequié

Um professor da rede municipal de Jequié, disse ter sido vítima de agressão por parte de estudantes, fato ocorrido nas dependências da Escola Municipal Joaquim Marques Monteiro, localizada no Loteamento Brasil Novo, bairro Jequiezinho. As imagens do incidente feitas através de aparelho celular foram postadas na internet, onde pode ser visto o professor Lelito Caictano Lopes, em confronto com estudantes. Um relato do professor foi encaminhado à direção da escola com cópias para veículos de imprensa da cidade, no qual o professor explica que desde o início do ano letivo alunos das séries iniciais da EJA (Educação de Jovens e Adultos), estariam se dirigindo à porta ou as janelas das salas onde ele leciona, “para me atrapalhar direcionando à minha pessoa apelidos dos mais variados”. Lelito relata que o aluno com o qual teve o desentendimento na quinta-feira (7/5), foi procurado por ele em outras dependências abertas do colégio, na tentativa de um entendimento, “falei para esse aluno que não estava gostando das brincadeiras feitas por ele, por considerá-las desrespeitosas, além de atrapalharem o andamento das minhas atividades na escola”. Mesmo depois dessa conversa o professor afirma que o aluno continuou fazendo as brincadeiras de forma mais intensa conseguindo a participação de outro colega para dirigir a ele apelidos e outras coisas mais. Lelito disse ter informado o que vinha ocorrendo à Vice-Diretora do noturno. No dia seguinte ao chegar na escola, o estudante teria dispensado a ele o mesmo tratamento com apelidos, inclusive incitando outros alunos que estavam junto à cozinha para ficarem rindo de sua pessoa. Nesse exato momento, explicou Lelito Caictano teve início o desentendimento verbal descambando em seguida para as agressões físicas de ambas as partes, “recebi um murro desferido pelo aluno e por outro colega, rolando a pancadaria. Tentaram me agredir com cadeira e para me defender arremessei uma cadeira num desses agressores, tendo o mesmo ido pegar um paralelepípedo do lado de fora da escola para arremessar contra minha pessoa”, narra o professor. Segundo ele, a partir dessa confusão generalizada e o corre corre das pessoas, funcionários da escolas buscaram conter os ânimos até a chegada da Polícia Militar e em seguida da Guarda Municipal que lhe acompanhou até as proximidades de sua casa. Lelito explicou que em 15 anos de trabalho no sistema de ensino no município nunca havia convivido ou presenciado situação semelhante. (Bahia em Dia)

Leia também

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *