Daily Archives: 19/07/2015

Tarifaço na energia elétrica triplica calote na conta de luz

Foto: Reprodução/Acorda Cidade

O tarifaço aplicado pelo governo nas contas de luz ao longo do primeiro semestre do ano já triplicou o crescimento da inadimplência no setor. Com aumentos nas tarifas superiores a 50% em algumas regiões do País, a expansão dos calotes nas faturas saltou de uma variação média de cerca de 6% no começo do ano para 17,35% em junho, na comparação com os mesmos meses de 2014. A preocupação das distribuidoras de energia é que esse problema resulte no crescimento de outro: os furtos de energia, popularmente conhecidos como “gatos” na rede elétrica. De acordo com dados do SPC Brasil, a falta de pagamento de contas de luz já respondia por 6,47% das dívidas dos brasileiros no mês passado. Essa é a maior participação do setor no total de calotes desde quando a entidade passou a acompanhar os dados, em janeiro de 2010. Na época, os atrasos nas faturas de eletricidade representavam apenas 2,53% da inadimplência no País. “Além do aumento nas tarifas, o cobertor está cada vez mais curto devido ao aperto na renda e à alta dos juros. Com isso, os consumidores estão atrasando até faturas essenciais, que acarretam o corte de serviço, como é o caso das contas de luz. Nesse cenário, é ainda mais importante que as famílias reavaliem seus orçamentos e economizem eletricidade, evitem o desperdício”, avalia a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti. E pior do que o crescimento dos débitos em aberto no setor, as dívidas mais longas estão cada vez mais frequentes. O levantamento do SPC Brasil mostra que 71,98% dos atrasos nas faturas se referem a contas de luz vencidas há mais de 90 dias, prazo após o qual as companhias de eletricidade cortam o fornecimento. E como se trata de um item básico nas residências, sempre que um movimento desses é detectado, ocorre um aumento nas chamadas “perdas não técnicas” de energia, ou seja, nos gatos nas redes. “Esse é o pior dos mundos. Com a dívida acima de 90 dias, além do corte de energia o consumidor passa a ficar com o CPF negativado. E ele pode até conseguir fazer um gato na rede de luz, mas não consegue fazer um gato para comprar qualquer mercadoria a prazo”, alerta Marcela. “O importante é tentar renegociar a dívida”, orienta. Os dados mais recentes da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) mostram que a porcentagem desses gatos nas redes das elétricas vinha caindo lentamente ou mantendo-se constante entre 2010 e 2014 para praticamente todas as distribuidoras.

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

Nada impede Negromonte de julgar contas, diz conselheiro do TCM

O conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Mário Negromonte, investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no âmbito da Operação Lava Jato, não tem nenhum impedimento para julgar as contas de prefeituras baianas este ano, segundo o presidente da corte de contas baiana, o conselheiro Francisco Netto. “O conselheiro Mário Negromonte foi indicado para o cargo pelo então governador Jaques Wagner e aprovado pela Assembleia Legislativa com o voto de ampla maioria dos deputados estaduais”, afirma Netto ao jornal A Tarde. Na última semana, a Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão na residência de Negromonte e em seu gabinete no TCM. O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, disse que Negromonte foi um dos responsáveis por dividir internamente no PP valores de propina dentro do esquema de corrupção na estatal. No entanto, o presidente do TCM diz que um eventual afastamento de Negromonte de suas funções até o final da apuração da Lava Jato só poderia ocorrer por uma “decisão de foro pessoal”. De acordo com o TCM, no final de julho serão sorteados os conselheiros relatores e, em meados de setembro, o tribunal começa o julgamento das contas de 2014 das prefeituras e Câmaras baianas.* Foto: Arquivo / Bocão News

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

Ipiaú: Motocicleta roubada é encontrada abandonada próximo ao Matadouro de Ipiaú

Na manhã deste domingo(19), a Policia Militar após receber denúncias via 190, encontrou uma motocicleta abandonada na BR-330, próximo ao Matadouro Municipal . Características do veículo: Moto Honda FAN 125 KS, placa OKN-4722. De acordo com moradores da localidade, a moto teria sido abandonada ontem a noite. O veículo possui restrição de roubo. A motocicleta foi encaminhada para delegacia da cidade.  (Panorama Ipiaú)

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

Para aumentar a demanda, postos de combustíveis reduzem o preço da gasolina

Para aumentar a demanda, postos de combustíveis reduzem o preço da gasolina. (Foto: Arquivo CORREIO)

Após uma enxurrada de reajustes, um fio de esperança chega ao consumidor baiano: o preço do combustível está mais barato. Quando comparado com a mesma semana do mês passado, o preço médio do litro de gasolina na Bahia caiu de R$ 3,506 para R$ 3,463, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Em Salvador, este valor passou de R$ 3,578 para R$ 3,505 em um mês – o preço mínimo do litro, que no mês passado era de R$ 3,54, agora chega a R$ 3,36.  O CORREIO foi a 11 postos em Salvador e constatou que – em pelo menos oito deles – o preço da gasolina está menor do que na semana passada, chegando a R$ 3,29 o litro no posto Ipiranga do Alto das Pombas e no Menor Preço da Bonocô. Em alguns casos, a redução chega a R$ 0,30 por litro em uma semana, o que pode gerar uma economia de até R$ 15/tanque. Este movimento na Região Metropolitana de Salvador (RMS), inclusive, já tinha sido notado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo o coordenador regional de disseminação de informações do IBGE, Joilson Rodrigues, desde maio há uma tendência de queda nestes preços. “Em janeiro, o valor sofreu uma redução de 1,5%; em fevereiro, houve um aumento de 13,92%; já em março, o aumento foi de 1,03%. Em abril, o aumento foi de 0,1%”, revela. Desde maio, segundo os números do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o preço médio da gasolina pesa menos no bolso dos soteropolitanos. “A redução de maio foi de 0,21% e, em junho, de 0,6%”, enumera Rodrigues.

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint