Estudo aponta que prática de sexo raramente causa infarto

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira (21) pelo Journal of the American College of Cardiology revelou que sexo raramente provoca infartos. “Segundo nossos dados, parece muito improvável que a atividade sexual seja relevante na hora de desencadear um ataque cardíaco”, afirmou em comunicado Dietrich Rothenbacher, o principal pesquisador do estudo e professor do Instituto de Epidemiologia e Biometria Médica da Universidade de Ulm, na Alemanha. De acordo com os cientistas, as pessoas que sofreram infartos ficam em dúvida sobre a possibilidade de praticar sexo sem riscos para a saúde. “Menos da metade dos homens e menos de um terço das mulheres recebem informação de seus médicos sobre atividade sexual após um ataque ao coração. É importante garantir aos pacientes que não é preciso se preocupar e que podem retomar a atividade sexual com normalidade”, acrescentou o pesquisador. Durante o estudo, foram analisadas 536 pessoas, de 30 a 70 anos, que tinham sofrido infarto. Segundo o G1, também foi avaliada a relação entre o último encontro sexual do paciente e o infarto. Apenas 0,7% fizeram sexo uma hora antes do ataque, enquando 78% teve a última relação sexual mais de um dia antes do incidente.

Leia também

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *