Privação de sono é ‘tortura’, afirma especialista em sono

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Um dos maiores especialistas em sono, Paul Kelley, da Universidade de Oxford, sugeriu que obrigar pessoas com menos de 55 anos a trabalhar antes das 9h é uma espécie de “tortura”. Para ele, os trabalhadores estão sendo submetidos à “sociedade privada de sono”, o que é altamente prejudicial à saúde, já que o ritmo circadiano de um adulto é diferente do horário de trabalho de 9h às 17h, até os 55 anos. Este sistema biológico determina padrões de sono e vigília ao longo de 24 horas e é conduzido pela exposição à luz, influenciando uma série de genes e mecanismos do corpo. Já que não se pode modificar padrões de acordo com idades dos trabalhadores, os adultos acabam ficando esgotados e doentes, afirmou o acadêmico durante o Festival Britânico de Ciência, em Bradford. Kelley afirmou ainda que este horário de trabalho afeta a atenção e a memória e que pode levar ao consumo excessivo de álcool e drogas. Ele acrescentou que este um problema mundial e que os padrões também aumentam as chances de desenvolver a diabetes e a esquizofrenia. “Não é uma coincidência que 70% das doenças mentais comecem entre 11 e 24 anos”, alerta ele. “A privação do sono é uma tortura. Trinta dias sem dormir e você morre. Tem o mesmo efeito de não comer” comparou o especialista que, recentemente, lançou um estudo com 100 escolas do Reino Unido no qual pede que as escolas estabeleçam o início das aulas a partir das 9 horas (10 anos) e 10 horas (15 anos).

Leia também

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *