Ex-ministros desviaram R$ 45 mi de Belo Monte para campanhas do PT e PMDB, diz revista

Foto: Geraldo Magela /Agência Senado

Foto: Geraldo Magela /Agência Senado

O senador Delcídio do Amaral (PT-MS) denunciou em sua delação premiada um esquema de corrupção nas obras da usina de Belo Monte que desviou R$ 45 milhões dos cofres públicos. Segundo reportagem da revista IstoÉ, ele apontou os ex-ministros Erenice Guerra, Antônio Palocci e Silas Rondeau como articuladores dos desvios, que tinham como destino as campanhas eleitorais do PT e do PMDB em 2010 e 2014. “A atuação do triunvirato formado por Silas Rondeau (ex-ministro de Minas e Energia), Erenice Guerra (ex-ministra da Casa Civil) e Antônio Palocci (ex-ministro da Fazenda) foi fundamental para se chegar ao desenho corporativo e empresarial definitivo do projeto Belo Monte”, teria dito Delcídio aos procuradores da Lava Jato. A delação do senador ainda está sob análise do Supremo Tribunal Federal (STF) e precisa ser homologada pelo ministro Teori Zavascki para servir de base em investigações. As defesas de Delcídio, Erenice e Palocci negaram as denúncias relacionadas às obras em Belo Monte. Na semana passada, outra reportagem da IstoÉ também apontou que o senador relacionou em sua delação a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao esquema de corrupção na Petrobras.

Leia também

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *