Jaguaquara: Foto de paciente atendido no chão do Hospital viraliza e direção diz que é politicagem

Homem é atendido no chão do Hospital. Foto: Leitor WhatsApp

Homem é atendido no chão do Hospital. Foto: Leitor WhatsApp

Uma imagem que mostra um paciente sendo medicado num colchão exposto no chão do Hospital Municipal de Jaguaquara – HMJ viraliza em grupos do WhatsApp, chamando a atenção de internautas, que aplicam duras críticas a unidade hospitalar. A foto foi publicada por uma mulher, que disse ter presenciado a cena na terça-feira (5/7). Um homem identificado como Adriano, morador do bairro Cruzeiro, que teria caído numa via pública foi socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e levado ao Hospital, onde aparece deitado num colchão colocado no chão, ao invés de receber os cuidados na maca do HMJ. O caso começou a ganhar repercussão nesta quinta-feira (7), quando a denunciante publicou um áudio revelando uma conversa com Adriano, que faz afirmação de que foi atendido no chão. ”Oh Adriano, vem cá, foi tu que botaram no chão”? Pergunta a mulher, e o homem responde: ”foi, eu fui lavar as mãos ali, de manhã, cair no chão e a Samu veio e me pegou”. E ela pergunta novamente: ”e no hospital, te botaram como lá no hospital”? Adriano revela: ”no chão, me botaram no chão”. Após a repercussão negativa do fato o Hospital Municipal emitiu nota pública para esclarecer o caso, publicada na rede social pela Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Jaguaquara. Na nota, a diretora do HMJ, Bruna da Hora Oliveira, disse que o caso é tratado como ”objeto de politicagem por algumas pessoas, inclusive tendo suas imagens divulgadas a velocidade da luz por meio da internet”. Explica que ”o mesmo foi encaminhado para o HMJ, chegando à unidade sem acompanhante e totalmente alcoolizado. O paciente apresentou 8 crises convulsivas tônico clonicas com espasmos importantes e hipoxia . A equipe de imediato o colocou sobre um colchão para tentar o acesso venoso, já que na maca não seria viável devido ao risco de queda e possível traumatismo, tudo pensando da melhor forma para proteger o paciente de uma complicação maior”, explicou a diretora, ressaltando que a equipe médica obteve êxito ao medicá-lo e tirá-lo da crise convulsiva, favorecendo a vida do paciente. Informou ainda que, após o controle da situação, o paciente foi transferido para a maca e depois de algumas horas teve alta médica com sua saúde reestabelecida. ”Todos que trabalham com a saúde sabem as dificuldades que enfrentamos no dia a dia e as necessidades. E nesse caso específico o procedimento teve que ser feito dessa forma para resguardar o paciente de um risco de queda . Então foi feito o melhor . O importante foi salvar a vida do mesmo. Lutamos para fazer um trabalho humanizado, mas infelizmente os desprovidos de juízo ético e moral utilizam situações como essas para tentar ofuscar o brilho de uma gestão que se preocupa com o povo e com o seu bem estar”, bradou Bruna da Hora, que aproveitou para enaltecer a administração pública municipal, relevando que ”uma pessoa alheia tirou foto do homem e o expôs sem qualquer tipo de restrição”.

Leia também

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *