Baiano e jogadores com passagem na dupla Ba-Vi estão entre vítimas de queda de avião da Chapecoense

O baiano Sérgio Manoel está entre as vítimas da tragédia que deixou 75 mortos na queda do avião da Chapecoense na Colômbia, na madrugada desta terça-feira (29). Natural de Xique-Xique, o volante de 27 anos nunca atuou no futebol da Bahia. Ele iniciou a carreira em clubes do interior de São Paulo e ganhou destaque com as camisas de Coritiba e Atlético-GO. Defendeu ainda Paysandu e Água Santa antes de chegar à Chapecoense nesta temporada. Este ano, Sérgio Manoel atuou em 26 jogos e marcou dois gols.

Baiano de Xique-Xique, Sérgio Manoel estava no avião da Chapecoense que caiu na Colômbia (Foto: Reprodução)

Baiano de Xique-Xique, Sérgio Manoel estava no avião da Chapecoense que caiu na Colômbia (Foto: Reprodução)

Além de Sérgio Manoel, estavam no voo para Medellín o atacante Ananias, formado nas divisões de base do Bahia e que ajudou o tricolor a conquistar o acesso para a primeira divisão em 2010; o zagueiro William Thiego, que passou pelo Fazendão em 2012; o meia Arthur Maia, que começou a carreira no Vitória e estava na equipe catarinense por empréstimo; além do meia Cléber Santana e do volante Gil, que também atuaram pelo rubro-negro. O técnico Caio Júnior também estava com a delegação da Chapecoense. Caio treinou o Vitória em 2013 e conquistou o Campeonato Baiano daquele ano. O treinador também trabalhou no Bahia, em 2012. O jogador Demerson, que já atuou no Bahia, também faz parte do elenco da Chapecoense, mas não foi relacionado para a partida e ficou treinando na cidade de Chapecó. O ex-jogador Mário Sérgio, ídolo do Vitória, também estava no voo. Ele era comentarista da TV Fox Sports e viajava para fazer a transmissão da final. Mário Sérgio foi destaque do time do Leão de 1972, um dos mais marcantes da história rubro-negra com o trio de ataque formado por ele, Osni e André Catimba.

Cria do Fazendão, Ananias está entre as vítimas da queda do avião da Chapecoense na Colômbia  (Foto: Miro Palma/CORREIO)

Cria do Fazendão, Ananias está entre as vítimas da queda do avião da Chapecoense na Colômbia (Foto: Miro Palma/CORREIO)

O avião que transportava a delegação da Chapecoense sumiu do radar e caiu por volta das 22h (horário da Colômbia, madrugada no Brasil). A aeronave chegou a entrar em contato com a torre de comando e afirmou que estava com problemas elétricos. O acidente aconteceu na cidade de La Unión, a aproximadamente 50 quilômetros de Medellín. Por volta das 6h da manhã desta terça, a polícia de Medellín confirmou a morte de 76 pessoas. Outras seis foram resgatadas com vida, entre eles os goleiros Danilo e Follman e o lateral Alan Ruschel. No entanto, o número de sobreviventes caiu para cinco pois um dos resgatados não sobreviveu e morreu a caminho do hospital.

Meia Arthur Maia, formado no Vitória, estava emprestado à Chapecoense pelo time baiano e jogaria a final  (Foto:  Cleberson Silva/Chapecoense)

Meia Arthur Maia, formado no Vitória, estava emprestado à Chapecoense pelo time baiano e jogaria a final (Foto: Cleberson Silva/Chapecoense)

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) vetou a Chapecoense de fretar um voo direto para Medellín. Por isso, o clube decidiu ir até a cidade de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, e de lá pegar um voo da empresa Lamia para a cidade colombiana, como fez durante a partida contra o Junior Barranquilla, também pela Copa Sul-Americana. A Conmebol lamentou o acidente e cancelou a partida da primeira decisão da competição internacional, que seria realizada na quarta-feira (30), contra o Nacional de Medellín.

Leia também

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *