PSDB admite erro em programa e gera crise interna; aliados veem afronta a Aécio

PSDB admite erro em programa e gera crise interna; aliados veem afronta a Aécio

Tasso Jereissati e Aécio Neves | Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

O PSDB usou tom de desculpas à sociedade em propaganda partidária veiculada nesta quarta-feira (9) em redes de rádio e televisão. Embora não detalhe quais foram os erros cometidos pelo partido, a legenda pondera que acertou quando criou o Plano Real, por exemplo, “mas agora errou”. O posicionamento desencadeou uma nova crise interna, porque parlamentares ligados ao senador e presidente licenciado Aécio Neves (MG) consideraram o vídeo uma afronta ao mineiro – o tucano foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República por pedir R$ 2 milhões à JBS. De acordo com o Estadão, os membros do partido também se sentiram expostos às vésperas das eleições. Também há descontentamento entre os ministros do governo Michel Temer, que consideram que o roteiro do vídeo dá espaço para que a população entenda o apoio ao peemedebista como um dos erros. O presidente Tasso Jereissati (CE) argumentou que este é o momento de autocrítica, principalmente à população. A ideia é que os tucanos tentem se diferenciar de outras legendas e do PT. Relatos indicam que o senador comentou a existência de uma cultura do caixa 2 na política e que é necessário admitir esses erros. É o que deve ser discutido na íntegra no programa que vai ao ar dia 17 de agosto.
Assista o vídeo:

Alguns tucanos pressionam para que o roteiro seja alterado antes de sua veiculação e alegam que Tasso autorizou a exibição sem consultar a cúpula do partido. Aécio é um desses, mas ponderou que o vídeo é uma “tentativa de reconexão do PSDB com a sociedade”. “Vamos aguardar o programa, vamos discutir ainda os textos que estão sendo propostos para o programa, mas eu acho que é uma tentativa do ponto de vista da comunicação de mostrar que, além dos acertos que nós tivemos – e não foram poucos -, certamente alguns equívocos o PSDB cometeu”, afirmou. O grupo próximo a Tasso afirma que todos foram convidados para assistir ao vídeo há duas semanas.

Leia também

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *