Ipiaú entra na luta pelo empoderamento das mulheres

Projeto Respeita as Mina será lançado no município nesta sexta-feira (02/03).

O projeto Respeita as Mina – Litoral Sul, de enfrentamento à violência contra as mulheres será implantado em Ipiaú na manhã  da próxima sexta-feira, 2 de março, no auditório do Complexo Integrado de Educação (antigo Colégio Modelo). Durante o evento serão realizadas oficinas de capacitação direcionadas a representantes da rede de atenção à mulher, sociedade civil, juventude e da segurança pública com o objetivo de melhorar o atendimento às mulheres e acompanhar as ações legais contra  os agressores. O projeto também visa ampliar o diálogo com as prefeituras para adesão ao Pacto de Enfrentamento à Violência.
Kaliana Fontes, coordenadora regional do projeto, explica que o  movimento decorre de uma emenda parlamentar do deputado federal Davidson Magalhães (PCdoB) e está sendo viabilizado pelo Governo do Estado, através da Secretaria Estadual de Políticas para as Mulheres (SPM-BA), embora também envolva ações não governamentais que contribuam para o enfrentamento à violência e promovam o empoderamento das mulheres. “Embora muitos avanços tenham sido alcançados com a Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2006), ainda assim, hoje, contabilizamos 4,8 assassinatos a cada 100 mil mulheres, número que coloca o Brasil no 5º lugar no ranking de países nesse tipo de crime”.Entre os estados brasileiros a  Bahia aparece em oitavo lugar, com 5,6 homicídios em cada 100 mil mulheres”, lembra a coordenadora. Ela cita  que os municípios de Eunápolis, Santa Cruz de Cabrália, Itacaré,Ubaitaba e Ibirapitanga  estão entre os 100 com maiores índices de homicídios de mulheres no Brasil. A taxa média de feminicídio no município de Ubaitaba  é de 13,4%, índice que lhe coloca como  a sétima  maior entre as cidades da Bahia.
Reverter esta estatística negativa é um dos propósitos do  projeto Respeita as Mina – Litoral Sul. O primeiro passo para a chegada do projeto a Ipiaú foi dado na ultima sexta-feira, 24, com uma reunião que envolveu representantes de organizações governamentais e não governamentais, políticos, artistas, ambientalistas e populares. Na linha de frente dos trabalhos, junto à coordenadora Kaliana Fontes estavam a vice-prefeita Margarete Chaves, os vereadores Erivaldo Carlos e Andreia Novaes, o diretor municipal de Cultura, Marcelo Batista, o artista Tito da Cruz, a socióloga Gerusa de Oliveira e outras personalidades da comunidade ipiauense. Na ocasião, a vice-prefeita Margateh, ressaltou a importância de um projeto como este para o município e sugeriu que não se poupe esforços no sentido de trazer o maior numero de pessoas para as oficinas  que  acontecerão  no Complexo Integrado de Educação de Ipiaú. “Precisamos de ações como esta para fortalecer a rede de atendimento à mulher. É lamentável que as mulheres continuem sendo vitimas de violência de todos os tipos, dentro de casa, no trabalho e na comunidade”,pontuou a vice-prefeita. (José Américo Castro)

Leia também

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *