Daily Archives: 13/06/2018

Quem ganha Bolsa Família dá o dobro de calote, diz Banco Central

Ganhando pouco dinheiro, beneficiários do Bolsa Família enfrentam dificuldades para pagar as suas contas e possuem, em média, o dobro das dívidas atrasadas em relação à média de outras pessoas de baixa renda. Dados do Banco Central mostram que a taxa de inadimplência entre beneficiários do programa foi de 6,1% em 2017. Para os demais integrantes do Cadastro Único para Programas Sociais, esse percentual foi de 3% no ano passado. Na média de todos os incluídos no cadastro único, essa taxa foi de 3,8% em 2017. O cadastro reúne pessoas de baixa renda (até três salários mínimos somando toda a família). Os dados constam do Relatório de Economia Bancária divulgado nesta terça-feira (12) pelo Banco Central. Segundo a autoridade monetária, são considerados inadimplentes os clientes que possuem alguma parcela em atraso por mais de 90 dias. *As informações são do UOL
WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

Ipiaú: Prossegue até sexta distribuição de cestas básicas para famílias cadastradas

A Prefeitura Municipal de Ipiaú continua realizando, através da Secretaria Municipal de Ação Social, a distribuição de cestas básicas emergenciais para famílias carentes cadastradas. As localidades da zona rural estão recebendo o benefício. Nesta quarta feira (13) , a distribuição acontece no Bom Sem Farinha, Gulosinho, Cajueiro, Braço Pequeno e Tingui. Na quinta feira (14) serão contemplados moradores das imediações da BR 330, regiões dos Bois, Água Vermelha e Sapucaia. Na sexta feira ( 15 ) as cestas serão entregues nas regiões do Ribeirão do Félix e CorcorvadoA secretária Nena Costa avisa quanto a organização da distribuição pela primeira letra dos nomes dos cadastrados: De F a M: quarta-feira e de N a Z: quinta-feira.

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

Ipiaú: Psicólogos recém formados desenvolvem trabalho de ação voluntária

Psicólogos recém formados pela Faculdade – FTC desenvolvem Projeto Multifaces Psi – Criando Pontes na Comunidade com o objetivo de se apresentar a sociedade e com o princípio de oferecer um serviço voluntário a sociedade estão atuando em Ipiaú: Eva Rocha, Jhéssica Lopes, Matheus Silva e Rita Januário. O projeto já está sendo fundamentado com bases teóricas, no entanto o grupo já deu início às atividades pretendidas. Em parceria, com a coordenadora e toda a equipe do Colégio Celestina de Ipiaú, a primeira ação dos psicólogos foi apresentar aos alunos a Psicologia e suas dimensões.

Devido o modelo clínico ser o predominante, muitos ainda pensam que a psicologia se restringe as quatro paredes, desta forma fez-se necessário desmistificar esse conceito, onde foi apresentado aos alunos: O que é Psicologia; Quais campos de atuações e as Funções do Psicólogo, e em especial adentrou-se com mais profundidade na atuação do psicólogo no âmbito escolar. O grupo de psicólogos irá oferecer seus serviços à instituição, onde coletará as demandas e em seguida realizará as intervenções necessárias. O objetivo é criar pontes entre a psicologia e a comunidade Ipiauense, desenvolvendo ações de prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde em sua integralidade.

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

No Morumbi, Vitória perde para o São Paulo por 3 a 0

O Vitória foi derrotado pelo São Paulo por 3 a 0, nesta terça-feira (12), no Morumbi, em jogo válido pela última rodada antes do início da Copa do Mundo. Os gols foram marcados por Nenê (duas vezes) e Everton.

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

TJ-BA condena Cidade do Sol a indenizar passageiro que quase perdeu jogo da Bósnia

Os olhos do mundo estarão voltados para Rússia a partir de quinta-feira (14). Há quatro anos, eram os baianos vivenciavam de perto o clima futebolístico do mundial. Entretanto, alguns danos sofridos por torcedores baianos ainda estão sendo reparados na Justiça após a realização dos jogos do campeonato na Bahia. Recentemente, a Justiça baiana condenou a empresa de transportes Cidade do Sol a indenizar um consumidor em R$ 8 mil por atraso em uma viagem para Salvador para assistir à partida entre Bósnia e Irã, na Fonte Nova, em Salvador. De acordo com os autos, o autor da ação comprou ingressos para assistir a partida da Copa do dia 25 de junho de 2014, com início às 13h. Ele comprou passagens para uma viagem de ônibus de Jequié para Salvador naquela data, com saída de Santa Inês às 5h30. Ao entrar no ônibus, ele descobriu que a empresa vendeu assentos em duplicidade. Junto com outros clientes da empresa, que passaram pelo mesmo problema, decidiu fretar um táxi que os trouxe até Salvador para assistir ao jogo. Ele precisou desembolsar R$ 198 para pagar o deslocamento. A empresa de ônibus, em sua defesa, afirmou que não vendeu passagens em duplicidade, e disse que a passagem vendida ao autor da ação foi de um ônibus “extra”, que chegou com atraso à Rodoviária de Santa Inês em razão de obras na BR 116. A empresa também afirmou que o autor da ação e outras pessoas iniciaram um tumulto na rodoviária, impedindo a saída do ônibus regular por duas horas. Disse também que o autor, sem qualquer razão, “deixou a rodoviária e pegou um táxi até o destino final” e que o ônibus extra chegou à rodoviária e a viagem aconteceu sem problemas. Também sustentou que os fatos aconteceram por culpa exclusiva do autor, e, por isso, não enseja reparação. Além do mais, argumentou que “os atrasos são coisas absolutamente previsíveis quando falamos de estradas em obra, pela notoriedade do fato”. A desembargadora Telma Britto, da 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), ao analisar um recurso da empresa contra decisão condenatória de 1º Grau, afirmou que se a empresa tinha conhecimento da obra na BR 116, e que poderia ocasionar atrasos, tinha obrigação de “informar claramente tal situação ao consumidor, bem como tomar as medidas para antecipar as saídas de seus veículos das garagens e, assim, cumprir os horários de saída e chegada a que se comprometera quando da venda da passagem”. A desembargadora ainda pontuou que na passagem não havia qualquer sinalização ou informação da possibilidade de atraso. Em seu entendimento, houve falha na prestação de serviço, pois causou danos de ordem moral como material ao autor da ação, que teve que desembolsar quase R$ 200 para fretar um carro que o trouxesse a tempo de assistir ao jogo. A decisão transitou em julgado em março deste ano.

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

Ministro do STJ, Félix Fischer, nega pedido da defesa de Lula para suspender prisão

O ministro Félix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou um pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para atribuir efeito suspensivo a um recurso especial apresentado contra a condenação do petista no caso do triplex de Guarujá (SP). O objetivo da defesa de Lula era permitir que o petista abandonasse a prisão e participasse da campanha eleitoral, pelo menos até a Quinta Turma do STJ julgar o recurso especial. Em sua decisão, Fischer destacou que o recurso especial apresentado perante o Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) ainda não chegou ao STJ e aguarda manifestação do Ministério Público Federal. “O que se pode vislumbrar é que o recurso especial não foi admitido na origem, valendo registrar, no ponto, o firme entendimento dos tribunais superiores de que apenas com a admissão da irresignação junto ao tribunal competente, no caso a egrégia corte regional, é que se inaugura a jurisdição do Superior Tribunal de Justiça”, alegou o ministro. De acordo com Fischer, é possível atribuir em casos excepcionais efeito suspensivo a um recurso especial ainda não admitido, caso fique demonstrado algum absurdo ou contrariedade à jurisprudência do STJ, o que não houve no caso de Lula. Para Fischer, um exame em profundidade dos argumentos da defesa de Lula, neste momento, levaria a uma “verdadeira antecipação” do julgamento de mérito do recurso especial, antes mesmo de sua admissão, subvertendo o regular andamento processual.

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint