Hesitação de Temer sobre ação das Forças Armadas contra greve irritou militares

Integrantes da cúpula das Forças Armadas não ficaram satisfeitos com a atitude do governo de editar um decreto para habilitá-los a desbloquear estradas e depois coibir ações mais incisivas. Na tentativa de encerrar a greve dos caminhoneiros depois de um acordo sem sucesso, o presidente Michel Temer (MDB) acionou as Forças Federais (veja aqui). Para esses membros, os apelos do Planalto para evitar abordagens diretas aos manifestantes mostram que o alcance e o próprio anúncio da convocação foram impróprios, apenas expondo as tropas. A informação é do blog Painel, da Folha de S. Paulo, que aponta que integrantes do Judiciário e do Congresso compartilharam a crítica. De acordo com a publicação, auxiliares de Michel Temer (MDB) justificam o recuo como uma forma de ajustar a medida ao perfil do presidente, que se diz a favor do diálogo.

Leia também

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *