Ipiaú: Em entrevista ao Panorama 91FM prefeita diz que prestou queixa contra vice por calúnia e difamação

A prefeita Maria Das Graças concedeu entrevista por telefone na tarde desta quarta-feira(20)  para o radialista Beto Marques no programa Panorama de Ipiaú (Fm 91,1).  Em oportunidade a prefeita contou que estava no momento da entrevista no complexo policial de Ipiaú, acompanhada da procuradora jurídica do município Isabelle Velúcia Dias de Araújo, prestando queixa contra a vice prefeita Margarete Chaves que esteve recentemente em um programa de rádio informando  que a prefeitura teria comprado 4 mil sacos de cimentos no mês de fevereiro de 2018.

“Estou na delegacia neste momento prestando uma queixa contra a vice prefeita Margarete Chaves que foi ao rádio fazer uma denuncia totalmente caluniosa contra minha pessoa, querendo denigrir a imagem de Maria e do governo. Ela foi no dia 23 de maio em um programa de rádio  dizer que a prefeitura teria comprado 4 mil sacos de cimentos no mês de fevereiro de 2018. Hoje estou prestando queixa para mostrar a população Ipiauense que tudo isso se trata de uma mentira , calunia . Ela terá que provar! Já procuramos a justiça , estamos com nossos advogados tomando providencias  para não existir este tipo de calunia para denigrir a imagem de Maria. Entrei com minhas mãos limpas e sairei com minhas mãos limpas”, Contou Maria

Procuradora geral do município concedeu entrevista a imprensa local

A reportagem do site Panorama Ipiaú esteve na delegacia de polícia, onde participou de uma entrevista coletiva com Dra Isabelle Velúcia Dias de Araújo, procuradora geral do município . Segundo a procuradora  a prefeitura nunca teria comprado em sua  gestão uma quantidade de 4 mil sacos de cimento. Segundo a procuradora  o que teria acontecido é que no início do ano de 2017, a prefeitura fez uma licitação na modalidade de registro de preços, onde o prazo de vigência é de um ano. Durante esses 12 meses, a prefeitura pode comprar os casos de cimento que forem necessários para a utilização de obras diversas de qualquer secretaria ou órgão do município. Com isso, ao decorrer do ano de 2017, mês a mês foram compradas quantidades variáveis de sacos de cimento.  Em 2018, desta mesma forma, a licitação ainda está vigente e os sacos de cimentos são comprados e pagos mediante nota fiscal mês a mês, de acordo com a necessidade do município.

Em relação ao mês de fevereiro, denunciado pela vice-prefeita, a procuradora explicou que no mês de fevereiro, o município emitiu uma nota fiscal porque comprou, utilizou e pagou através de nota fiscal 200 sacos de cimento. Ao todo, jamais sequer foram utilizados 4 mil sacos de cimento, não existe nenhuma nota fiscal contendo essa quantidade.

Ouça a entrevista:

Leia também

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *