Justiça Condena Record por associar religiões a demônios é suspensa

O desembargador Nery Júnior, do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TR-3), suspendeu a execução de um processo contra a Rede Record e a Rede Mulher (comprada posteriormente pela Record) que já dura 14 anos. Com isso, a emissora não precisará produzir programas como direito de respostas às religiões de matriz africana, como o candomblé. A decisão do desembargador foi proferida no dia 7 de junho e surpreendeu o procurador Regional dos Direitos do Cidadão, Pedro Antônio Machado.

Leia também

WhatsAppLinkedInGoogle+Outlook.comGoogle GmailEmailPrint

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *